De mochila em Fortaleza - Parte 2


Mês passado começamos uma série de matérias sobre o que há de melhor em Fortaleza, a lista é grande e não vamos conseguir listar tudo depois de apenas uma viagem(desculpa para voltar detected), mas aqui vou contar pra vocês sobre 2 coisas deliciosas que você não pode deixar de experimentar na Cidade da Alegria.
Particularmente, a melhor maneira que há para se conhecer uma localidade e sua cultura é através da culinária, e Fortaleza não é diferente.
Uma coisa curiosa sobre as refeições de lá é que: não tem feijão. Aqui em Manaus, você adquire um prato feito e nem precisa perguntar se tem ou não feijão, é basicamente item obrigatório, pois lá, depois de 2 ou 3 refeições você vira pro atendente e pergunta: por que não tem feijão? Ele te responde, de um jeito sorridente que só os cearenses tem: a terra do Ceará não é boa para o cultivo do feijão, e isso torna o produto super caro. Ou seja, se quiser uma porção de feijão, tem que pagar a parte (paguei R$1).
Foi triste não comer feijão por alguns dias, mas isso foi compensado por um tipo deliciosamente especial que é da culinária local: feijão verde.
Essa coisa maravilhosa e gostosa você encontra em todos os restaurantes típicos, mas aqui vai nossa sugestão, coma essa delícia no Croco Beach. Fica na Praia do Futuro e tem um cardápio bem variado, com pratos típicos super bem servidos e saborosos.
 O local é lindo, tudo limpinho e bem decorado. Fora a praia, onde você pode ir molhar os pés enquanto sua carne de sol não chega. Só amor!




O feijão verde é essa delícia feita com feijão, creme de leite, coentro e outros ingredientes que fugiram da memória desta blogueira esfomeada que teve momentos felizes saboreando isso(sério, preciso voltar só pra comer de novo). O sabor é bem difícil de descrever, primeiro você acha que tem leite de coco, mas não tem esse ingrediente na descrição do prato no cardápio, tem um leve sabor adocicado, mas bem equilibrado por conta do próprio feijão e coentro. Também dá pra sentir um aroma de noz moscada.
A carne de sol completa vem com baião de dois, salada, farofa, banana empanada e macaxeira frita.


O preço pode parecer salgado para os desavisados, mas vale muito a pena, é impossível comer no Croco beach sem fazer "hmmm"a cada garfada.
Ponto positivo também pra lista de músicas que tocam no local. Todas com uma vibe super gostosa, com tema de férias e praias e tudo mais que há de bom nessa vida(não tinha música sobre feijão verde, mas devia O.O).

A noite, passeando pela Beira Mar, vá direto na barraquinha da D. Eliane e peça uma tapioca doce.
A D. Eliane fica em frente a Praça dos Estressados vendendo as suas gostosuras e conversando sobre a vida local com os turistas curiosos, fofura é uma palavra que a define muito bem. E a tapioca é deliciosa. Leva queijo branco, leite condensado, coco ralado e muito amor.
A tapioca doce dela é bem diferente da que estamos acostumados, a espessura é maior, mais ou menos da altura de um dedo gordo. O queijo não é salgado, então, combina bem com o leite condensado e o coco ralado(não perguntei se era coco mesmo, mas as raspas eram bem grandes).


Aqui ficam os "meus" sabores de Fortaleza. Pra mim, a Cidade da Alegria tem gosto de feijão verde e tapioca com coco, e eu espero poder "degustar" Fortaleza novamente o mais breve possível.
Share on Google Plus